A boate Aloca voltará a ser como antes depois da pandemia

A boate Aloca voltará a ser como antes depois da pandemia

A tradicional boate Aloca, por anos, um dos principais points LGBT da noite de São Paulo, promete reabrir resgatando o sucesso do passado, mas com cara nova após reforma em sua estrutura.

Em nota, o site A Capa informou que o DJ Fabio Lima, proprietário do Bofetada e colaborador de muitos anos d’Aloca nos tempos em que era comandada por Julio Baldermann (morto em 2009), reabrirá a casa com antigos funcionários.

O famoso point da Rua Frei Caneca, esquina com o bar que ficou conhecido pelo mesmo nome, Bar da Loca, já havia ganhado uma nova versão com nome diferente, Aloka, em 2019.


Da esquerda para direta, Nagel Noronha, Rita da Loca, DJ André Pomba, Tico Malagueta e Fabio Lima (proprietário do Bofetada Club) que trabalhavam no antigo bar, agora retornam para comemorar a volta da tradicional “Aloca” que deve ressurgir depois que a pandemia passar na capital paulista. – Foto : Divulgação| Facebook

Umas duas semanas atrás, sonhei com toda a equipe d’Aloca trabalhando. Na semana seguinte, o antigo dono, Felipe Storino, me disse que queria conversar. Quando cheguei lá, ele me deu as chaves da casa e falou: ‘não vou tocá-la mais, sinto que é para você’”, contou Lima em entrevista ao A Capa.

Reuni meus sócios, falei o que tinha acontecido e eles aceitaram. Chamei os antigos funcionários, que disseram não querer trabalhar lá de novo, e expliquei que eu tinha pego a casa. Eles entraram lá e, como a gente lembra muito do Julio, alguns deles começaram a chorar.

Lima confirmou que o espaço passa por reforma e melhorias como novos condicionadores de ar, equipamentos e isolamento acústico. “Estamos terminando uma reforma legal para quando essa pandemia passar. A gente vai voltar com tudo”, anunciou.

De volta à programação da tradicional boate Aloca estarão o DJ André Pomba, a festa Grind, apresentações da drag Silvetty Montilla e pistas comandadas pelo DJ Mau Mau também estão nos planos de Lima.